MuBE Virtual > Dados > Ver
Banco de Dados de Esculturas Brasileiras
   
Luiz Gama
Publicada por MuBE VIRTUAL

Autor da Escultura:
Yolando Mallozzi

Data de Inauguração:
22/01/1931

Cidade:
São Paulo

Estado:
São Paulo

Endereço:
Largo do Arouche - República, São Paulo, Brasil


ver mapa completo


Imagens:

#phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/7567DA8178B8152B8255DD5C738E4AFF.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/58D75A0EBE7095A60DF3F273E475DBD1.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/BC86BA59B1A85BFAFEDE7165C5C9FB2C.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/A4CD571D73B7A3B24DFC64FB5602E5E1.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/4199091ACBF31799F29D94844E9E6E68.JPG  

Autor das fotos:
MuBE Virtual

Motivo de sua criação:


Histórico da obra e/ou do autor:

Luiz Gonzaga Pinto da Gama, filho da valente e insubmissa negra Luiza Mahin. Luiz Gama nasceu no dia 21 de julho de 1830, no estado da Bahia. Seu pai era um fidalgo português, estróina, que em 1840 vendeu o próprio filho a um traficante de escravos, para pagar dívidas de jogo . A alma de Luiz Gama era tão pura e generosa que jamais se permitiu revelar, a quem quer que seja, o nome de seu pai, que se cobriu de opróbrio com este gesto insólito e monstruoso. em 1848, Luiz Gama não era mais escravo, conseguindo fugir do seu último " senhor ", uma vez que carregava consigo documentos comprobatórios de sua condição de negro liberto, com os quais lhe é permitido assentar praça no Exército Brasileiro, quando em 1854 alcança o posto de cabo graduado. Luiz da Gama trazia no sangue o temperamento de negro rebelde, herdado certamente de sua mãe, Luiza Mahin, tanto é que por " atos de insubordinação " acabou por dar baixa no serviço militar, atos, que no seu entender, praticou com consciência e altivez na defesa da sua própria dignidade de criatura humana . Luiz Gama foi copista e amanuense, funções das quais era afastado por força de perseguições racistas e políticas movidas pelo seus detratores, que se encastelavam no Partido Conservador, por não tolerarem as inclinações liberais e as suas atividades em favor dos negros escravizados e oprimidos. Luiz Gama formou-se em direito, conseguindo com talento, coragem e obstinação libertar mais de quinhentos escravos . É dessa época que se projeta a sua fama de orador arrebatado, impetuoso e intrépido quando se punha diante de uma causa nobre, fazendo do jornalismo e da tribuna um poderoso instrumento com o qual vergastava os exploradores do suor alheio e os inimigos da humanidade . Foi ele que brandiu a célebre frase que afirmava de modo peremptório que " aquele negro que mata alguém que deseja mantê-lo escravo, seja em qualquer circunstância, mata em legítima defesa ! ". Segundo Américo Palha, estas palavras de fogo foram proferidas de forma corajosa, da tribuna do Tribunal do Júri . De outra vez, nessas pugnas homéricas em que se metia em defesa dos negros escravos, Luiz Gama depara com o temido José Bonifácio, o moço, como seu adversário no júri popular. Sem demonstrar o menor temor consegue estrondosa vitória que o permitiu libertar mais de cem negros escravos . Autor de Primeiras Trovas Burlescas de Getulino , sua poesia política e satírica, feria como a ponta de um punhal nos alvos atingidos. Abolicionista dos mais eloqüentes, convivendo com Castro Alves, Rui Barbosa e Joaquim Nabuco, Luiz Gama, entretanto, não chegou a ver o triunfo de sua causa, pois veio a falecer a 24 de agosto de 1882. (fonte:http://www.sampa.art.br/biografias/luizgama/)



Observações:


Materiais:
Bronze

Natureza:
Busto, Escultura, Monumento

Faça seu login para comentar.

Comentários:



Últimas Atualizações

Mantenedores
Assessoria
MCAtrês