MuBE Virtual > Dados > Ver
Banco de Dados de Esculturas Brasileiras
   
José Augusto Cesar Salgado
Publicada por Companhia de Restauro

Autor da Escultura:
Luiz Morrone

Data de Inauguração:
1981

Cidade:
São paulo

Estado:
São Paulo

Endereço:
Largo do Arouche, 63 - República, São Paulo, 01219-011, Brasil


ver mapa completo


Imagens:

#phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/85e142350bebf4cc47749db1dbddb941.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/908100e7bc68ea2711ed54d3e3021125.JPG  

Autor das fotos:
Companhia de Restauro

Motivo de sua criação:



Histórico da obra e/ou do autor:

Sobre o autor Luiz Morrone (São Paulo, 1908 – 1998)

“Quantas vezes por dia, andando pela rua, a gente não passa diante de um monumento público e o máximo que conseguimos saber é o nome da figura histórica homenageada ou quando a informação é um pouco maior, lembramos das autoridades ou associações que mandaram esculpir a obra?
Agora, o que raramente chegamos a saber (ou nos preocupar em) é o nome do artista, do escultor que criou o monumento. Quando o artista Luiz Morrone fala do assunto não há nada de tristeza, nem mágoa pela falta de reconhecimento público ao seu trabalho. É apenas a constatação de um fato que qualquer um, mais atento, pode fazer.
Luiz Morrone acaba de criar para a Associação Paulista de Críticos Teatrais a estatueta do prêmio Gil Vicente, que será fundida em bronze e entregue anualmente aos melhores do teatro (direção, ator, atriz e autor nacional). Logo que recebeu o pedido da APCT, o escultor se prontificou em fazer o trabalho, ele que há muito tempo está ligado ao teatro (é pai do ator Laerte Morrone).
O contato de Luiz Morrone com teatro e Gil Vicente vem de muitos anos. Esculpiu no início de sua carreira um busto do dramaturgo mais significativo da língua portuguesa, para um clube recreativo no Brás e, agora, em 72, teve a chance de retomar o tema ao esculpir a estatueta do prêmio da Associação dos Críticos.
Atualmente, inspetor do Ensino de Belas Artes e membro do Conselho Estadual de Honrarias e Méritos no Palácio do Governo, Luiz Morrone aos catorze anos diplomou-se na Escola de Belas Artes, começando então a trabalhar com Ximenes, seu mestre, no monumento do Ipiranga e na Catedral da Sé. Fez na mesma época esculturas para o Teatro Oberdam no Brás.
Seu primeiro trabalho público, monumento em homenagem ao Major Bolivar de Araripe Sucupira, herói da Batalha do Avaí, foi colocado em Jundiaí em 1934. Desde então seu trabalho tem sido intenso, somando até hoje mais de quinhentos monumentos e hermas, oito dos quais se encontram em Portugal. A principal foi inaugurada recentemente pelo Presidente da República, Almirante Américo Tomas – uma estátua de cinco metros do bandeirante Antônio Raposo Tavares, que foi colocado em sua cidade natal, Beja.
Ainda na lista de trabalhos internacionais do escultor paulista Luiz Morrone estão: um trabalho na Argélia, um na Filadélfia, três na Bolívia. Menos em Belém e em Brasília, os seus trabalhos estão em todos os Estados brasileiros. No caso específico de Brasília, o artista compreende que apesar dos aplausos que tem recebido à sua obra do famoso Niemeyer, a sua escultura segue uma linha neoclássica que, logicamente, não se enquadra no modernismo que caracteriza a Capital do País.
Luiz Morrone orgulha-se se sempre ter vivido de sua arte, sem precisar recorrer a outra atividade distante. Mas para tanto – com isso, ele mesmo concorda – é preciso ser um bom profissional. E Luiz Morrone tem provado isso desde os seus catorze anos ao sair da escola de Belas Artes.

“Estamos apresentando o Escultor Luiz Morrone”. In: PEREIRA, Hilda Vargas. A Arte de Luiz Morrone. Última Hora, São Paulo, 28 jun. 1972.

(LAUDANNA, Mayra e ARAUJO, Emanoel. De Valentim A Valentim. A Escultura Brasileira - século XVIII ao XX. Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. São Paulo, Brasil, 2010.)



Observações:

Origem da iniciativa: Academia Paulista de Letras

Dados técnicos:

Peça – Bronze (0,55 x 0,40 x 0,30m)
Pedestal – Granito (1,38 x 0,48 x 0,48m)

 

Informações existentes na obra:
Assinatura - face lateral direita da peça : L. MORRONE

Placa - cobre, face frontal do pedestal:
JOSÉ AUGUSTO CÉSAR SALGADO
1894 – 1979
PINDAMONHAGABENSE
PROMOTOR DAS AMÉRICAS
CONDESTÁVEL DO PÁTIO DO COLÉGIO
PREFEITURA MUNICIPAL DE
PINDAMONHAGABA
ASSOCIAÇÃO PAULISTA DO MINISTÉRIO
PÚBLICO
ASSOCIAÇÃO DOS CAVALEIROS DE SÃO
PAULO
ACADEMIA PAULISTA DE LETRAS
SECRETARIADO NACIONAL DA
CANONIZAÇÃO DO BEATO JOSÉ DE
ANCHIETA
CLUBE SERRA
LIGA DOS PROFESSORADO CATÓLICO
SOCIEDADE “AMIGOS DA CIDADE” SÃO
PAULO
UNIÃO DOS AMIGOS DA PADROEIRA DO
BRASIL

 Referência: Livro Obra de Arte em Logradouros Públicos de São Paulo – Regional Sé (Ed. Imprensa Oficial do Estado S.A. IMESP / 1993)



Materiais:
Bronze

Natureza:
Busto, Escultura

Faça seu login para comentar.

Comentários:



Últimas Atualizações

Mantenedores
Assessoria
MCAtrês