MuBE Virtual > Dados > Ver
Banco de Dados de Esculturas Brasileiras
   
Giuseppe Garibaldi
Publicada por MuBE VIRTUAL

Autor da Escultura:
Emilio Gallori

Data de Inauguração:
01/05/1910

Cidade:
São Paulo

Estado:
São Paulo

Endereço:
R. Ribeiro de Lima, 230 - Bom Retiro, São Paulo, 01122-000, Brasil


ver mapa completo


Imagens:

#phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/3f73d47879ecc60d44170ad539f112c5.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/a13f579284b21ae11b8de9476f85a12c.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/9b06b4d6219b7e3c56a21a7fd18c2974.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/ec3cd203a2665ba3e36d398c504d75bb.JPG  #phocagallerypiclens 25-phocagallerypiclenscode-shadowbox/22b67707c72d8b87c7fd837276d8aecf.JPG  

Autor das fotos:
Companhia de Restauro

Motivo de sua criação:

Garibaldi era personalidade extremamente reverenciada e respeitada no início do século XX. Entidades formadas por imigrantes italianos em São Paulo o tinham em grande apreço, tendo partido delas a iniciativa de homenageá-lo com a ereção de um monumento no Jardim da Luz.



Histórico da obra e/ou do autor:

Giuseppe Garibaldi (Nice, 1807 – Caprera, 1882) integrou ativamente a Jovem Itália de Mazzini (1833). Ameaçado de morte, fugiu com destino ao Brasil em 1836, onde, com recursos fornecidos por Bento Gonçalveslíder da Revolução Farroupilhaenfrentou tropas imperiais na Lagoa dos Patos. Em seguida, ajudou Davi Canabarro a conquistar a Laguna, onde foi proclamada a República Juliana em 1939. , conheceu e se apaixonou por Anita – Ana Maria Ribeiro da Silva –, que passou a acompanhá-lo em suas ações, tornando-se combatente também. Em 1848, Garibaldi voltou à Itália, empreendendo uma série de lutas e ações militares, com a finalidade de unificar a Itália e de promover Roma a sua capital. Considerado um “rebelde profissional” por sua participação ativa em vários movimentos armados na Europa e na América do Sul, ficou conhecido como “Herói de Dois Mundos”.

Icilio Forelli, Vice-Presidente do “Comitê Popular”, promotor da comemoração do Centenário de Garibaldi, em 1907, encomendou o busto ao escultor italiano Emilio Gallori (Florença, 1846 – Siena, 1924), que, em Roma, aceitou executar a obra gratuitamente. Os custos do evento foram cobertos pela organização de festas e espetáculos de benefícios e pela colaboração de associações. Entre elas, é citado o Clube Espéria.

O Comitê Popular solicitou uma autorização à Câmara Municipal para implantar, no “jardim público” da Capital, o busto de Garibaldi. Uma comissão de peritos, integrada por Francisco de Paula Ramos de Azevedo, Jorge Krug e pelo escultor Amadeu Zani foi formada, a fim de julgar o mérito artístico do trabalho. Emilio Gallori trouxe a obra a São Paulo, executada pela Fundição Bastianelli de Roma, e convidou os peritos a examiná-la de perto. O parecer da comissão foi favorável e, no dia 1o de maio de 1910, o monumento a Giuseppe Garibaldi foi inaugurado em meio a grande festa.

Às 13 horas, centenas de pessoas partiram da praça da República em direção ao Jardim da Luz, portando bandeiras e estandartes. Cerca de 4.000 pessoas, membros de associações de imigrantes, vieram do interior de São Paulo para acompanhar o evento. Quando o cortejo chegou ao jardim, às 15 horas, mais de 10.000 pessoas os aguardavam. Houve falatório e confusão. O Vice-Prefeito em exercício, Conde Asdrúbal do Nascimento, compareceu ao evento. Olavo Bilac também esteve presente e leu um discurso inaugural. Em um trecho, dizia: “Pela segunda vez, como brasileiro, venho aos italianos de São Paulo falar desse soldado inimigo da guerra, deste batalhador amigo da pazguerrilheiro cujo ideal era o estabelecimento da concórdia entre os homens, último glorioso cavaleiro andante que andou pela terra, vagabundo sublime, oferecendo o seu sangue em holocausto à liberdade humana”.

O escultor Emilio Gallori não compareceu à inauguração, mas recebeu, em Roma, um telegrama da parte dos organizadores relatando o evento. A edição do jornal O Comércio de São Paulo do dia seguinte exibia fotos de bandas musicais postadas em frente ao Jardim da Luz e de “garibaldinos” perfilados, vestindo suas características camisas vermelhas.
 



Observações:

Vinculado ao surgimento da nacionalidade italiana, Garibaldi sempre esteve associado às comemorações patrióticas dos italianos em São Paulo, que, depois de se empenharem na construção do monumento em sua homenagem, todos os anos celebravam sua data nacional – 20 de setembrojunto à herma no Jardim da Luz, com banda de música, cortejo, desfiles de escolares, discursos e deposição de flores. Invariavelmente, a multidão “arrasava” os canteiros, que precisavam ser replantados pelo administrador do jardim. A herma de Garibaldi foi restaurada no ano 2000. A inscrição de autoria de Enrico Ferri, na face frontal do pedestal, foi recomposta:


A
GIUSEPPE GARIBALDI
BRACCIO EROICO
PER LA LIBERTA' DEI POPOLI
CUORE MAGNANIMO
PEROGNI PIU' UMANA ASPIRAZIONE
DI
SOCIALE GIUSTIZIA
1O MAGGIO 1910

Tradução:

Braço Heróico
Pela liberdade dos povos
Coração Magnanimo
Por cada mais humana aspiração de justiça social

10 de maio de 1910


Seção Técnica de Levantamentos e Pesquisa
Divisão de Preservação - DPH

Texto: Site da Prefeitura de São Paulo
 



Materiais:
Bronze

Natureza:
Busto, Escultura, Monumento

Faça seu login para comentar.

Comentários:

Sidnei de santana disse:

Eu tenho uma foto do meu bisavô e minha avó ainda criança neste monumento





Últimas Atualizações

Mantenedores
Assessoria
MCAtrês